Guimarães é uma das mais importantes cidades históricas do país, sendo o seu centro histórico considerado Património Cultural da Humanidade, tornando-a definitivamente um dos maiores centros turísticos da região. As suas ruas e monumentos respiram história e encantam quem a visita.

“Aqui nasceu Portugal.” Esta frase, gravada num pedaço das muralhas medievais que restam no bem tratado centro histórico de Guimarães, que é um dos lugares mais fotografados do país, demonstra plenamente que estamos numa das cidades históricas mais importantes de Portugal.

Ainda hoje designada por Berço da Nação Portuguesa, a cidade de Guimarães possui características próprias que a distinguem de outras cidades portuguesas e a colocam em relevo na História de Portugal, o que lhe confere tal atributo: segundo a história, terá sido em Guimarães que nasceu e foi batizado aquele que, em 1179, viria a ser coroado o primeiro Rei de Portugal, D. Afonso Henriques.

Em 2001, o centro histórico de Guimarães foi classificado pela UNESCO como Patrimônio Cultural da Humanidade, pela forma como suas gentes – os vimaranenses – recebem bem quem visita esta cidade única.

Guimarães é sede de um concelho densamente povoado, com mais de 160.000 habitantes, sendo o segundo maior município português fora das áreas metropolitanas de Lisboa e Porto, em população residente, e um dos mais jovens da Europa.

A par da tradicional relevância da indústria têxtil, foram emergindo outros setores, com maior incorporação tecnológica, de crescente significado económico e que confirmam a importância estratégica da Universidade do Minho como gerador de conhecimento e inovação para a cidade e para a região.

Atualmente, as políticas públicas têm por objetivo vencer a candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia 2020. Assim, Guimarães é uma cidade que cruza a memória do seu rico passado com as ideias inovadoras do presente, tornando-se num espaço acolhedor e contemporâneo, que procura melhorar a experiência de todos aqueles que tomam contacto com a cidade, sejam eles moradores ou turistas. Guimarães é hoje uma cidade cheia de energia criativa, mas é também um arquivo histórico vivo.